gototopgototop
Stander consegue prata na abertura do Mundial PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Burry Stander (Spcialized Racing) alcançou este domingo o segundo lugar em frente ao publico da sua terra em Pietermaritzburgo na Taça do Mundo de Cross-Country UCI 2012, África do Sul.

"A corrida foi muito melhor que no ano passado. Não caí de cabeça e n~´ao parti a bike," disse o atleta Sul Africano, que comandou a sua Specialized S-Works Stumpjumper 15.5". "Eu tentei muito, mesmo muito vencer a corrida. Estive perto mas o Nino (Schurter) esteve um pouco mais forte hoje."

Stander estava contente por estar de volta ao pódio, depois de um 2011 que não correspondeu às suas expectativas.

"Este ano sinto que estou forte o suficiente para competir com os mais fortes de novo," disse Stander entusiasmado. "Eu não tive uma boa época no ano passado e começar a deste ano desta forma é quase tão bom como vencer - especialmente a consegui-lo em frente à multidão de casa.

Depois de um grande arranque, a corrida revelou-se uma batalha entre três homens com Stander, Schurter e Manuel Fumic. Julien Absalon e Jose Hermida perseguiam-nos de não muito longe. Fumic eventualmente acabaria por perder o ritmo, deixando Schurter e Stander repetirem a batalha que haviam tido uma semana antes no mesmo percurso, no evento de teste da pista para a taça do mundo. Na volta final Schurter conseguiu ganhar uma vantagem sobre Stander, numa descida íngreme para um jardim de pedras. Stander manteve a segunda posição, saudado pelos barulhentos fãs do percurso, terminando a apenas 11 segundos de Schurter.

No seu caminho para a medalha de prata, Stander utilizou um pneu Specialized Fast Trak 2.00 (com 22 psi) na frente e um Specialized Renegade 1.95 (com 23 psi) atrás. Usou um prato Rotor de 36 dentes na cremalheira com uma guia de corrente cSixx e manípulos de mudanças SRAM com uma cassete SRAM de 11-36 dentes.

Atrás de Stander, Kulhavy, que no inicio antes de escorregar para a sexta posição esteve em terceiro, tendo alcançado por fim a quinta posição a 2:21 do líder. O atleta checo venceu a Taça e Campeonato do Mundo em 2011. Este domingo, conduziu a sua Specialized S-Works Epic (tamanho L) até ao último lugar do pódio. A sua bicicleta estava equipada com pneus Fast Trak 2.00 (com 23 psi) e com o novo SRAM XX Grip Shift de 10 velocidades. Kulhavy testou também um novo selim Romin 143 com carcaça de carbono.

Christoph Sauser da Suiça terminou em 15º a 4:48 enquanto o membro mais novo da equipa, Kohei Yamamoto do Japão, terminou em 23º a 5:42.

Sauser escolheu competir com a sua Epic 29er de suspensão total (tamanho 19") com pneus Specialized Fast Trak 2.00 À frente e atrás (com 27 psi). Tal como Stander, Sauser também usou a nova guia de corrente cSixx e apenas um prato pedaleiro, mas escolheu um Rotor de 34 dentes.

Yamamoto competiu com uma Epic 29er (tamanho L) com pneus Specialized Fast Trak 2.00 (com 27 psi). Apesar de ter utilizado manípulos SRAM XX nesta corrida em particular, mas espera mudar para Grip Shift assim que a equipa receber da SRAM mais modelos destes.

O Campeão Nacional Americano Todd Wells não alinhou à partida devida a uma lesão. O americano teve uma queda logo na primeira volta de treinos uns dias antes e continuava com dores no ombro, pescoço e tornozelo.

Wells espera estar recuperado para alinhar na prova por etapas que começa já no próxima fim de semana, o Cape Epic. Wells irá fazer equipa com Max Knox enquanto Sauser e Stander também formarão equipa para o evento de oito dias.

A Specialized é a numero um.

Mesmo sem Wells, que costuma ser o melhor Americano no Mundial, a equipa Specialized Racing conseguiu uma sólida performance por equipas conquistando a vitória na classificação geral na prova de abertura do Mundial em Pietermaritzburgo, o que significa que a Specialized lidera o ranking logo após a primeira etapa.

 

Mulheres

Lea Davinson (Specialized USA) competiu no inicio do dia terminando na 14ª posição na competição de Cross Country da Elite Feminina. Notavelmente foi a melhor Americana, o que lhe dá um bom avanço na tentativa de incorporar a equipa olímpica Americana para Londres.

 

Gary Perkin